Pensando em morar junto?

Quatro dicas para organizar as contas a dois.

Pensando em morar junto?



A gente está sempre procurando dicas para ajudar a deixar a vida mais prática.
O nosso trabalho aqui na Contract Arquitetura está diretamente ligado a deixar a vida mais bonita, confortável e com certeza mais ágil.
 
Então lá vão algumas dicas da Aldrey Zago da Revista Donna da ZH de 11 e 12 de junho de 2016. Achei o máximo e resolvi compartilhar com vocês. 
 

Quando moramos sozinhos, tudo se projeta somente para nós e acabamos nos acostumando a administrar nossas finanças, com nossos gastos fixos e variáveis, nossas dívidas e nossos investimentos. Mas, quando namoramos, passado um tempo de relacionamento, poderá vir a decisão do “test drive” e iniciar uma vida a dois.
Além daquele frio na barriga de dividir a casa, o gato, o cachorro, a cama e o banheiro, vem a questão financeira, que é também parte importante da vida do casal e deve ser tratada como um dos temas de peso na decisão de compartilhar a vida.

Ao iniciar uma história a dois, “as finanças” acabam mudando um pouco, e o pensamento não poderá mais ser na via individual. Todos sabemos que um dos motivos de discussões entre casais é o dinheiro, então como evitar esse tipo de transtorno?
1. Conhecendo um ao outro:
Primeiro os dois precisam perceber quem é mais gastador e quem economiza mais, desta forma um poderá ser o equilíbrio do outro. Conversar, saber os objetivos e a experiência de cada um com investimentos é o primeiro passo. Em resumo: aprender um com o outro.
2. Divisão dos gastos:
Quando juntamos as escovas de dentes, além de decidir o lado da cama para dormir, é necessário combinar quem pagará o que em casa, se tudo será dividido meio a meio ou se será proporcional ao salário. Uma planilha financeira poderá ser útil para organizar o pagamento das contas.
Uma boa dica é: programar uma viagem juntinhos de férias! Ou até mesmo um feriadão na praia. A viagem é o típico exemplo de organização financeira a dois: para onde vamos? qual o valor da viagem? Quem comprará as passagens e quem reservará o hotel? Qual o valor a ser levado? Cada um vai juntar a sua parte ou irão economizar juntos? E essa economia, será guardada onde e de que forma?
3. Seja transparente:
Antes de iniciar a mudança para a casa nova, é importante conhecer a situação financeira de cada um e saber quais são as prioridades e sonhos futuros individuais. É necessário ser transparente e contar para o parceiro(a) sobre uma dívida financeira ou um planejamento de gasto futuro, como, por exemplo, uma pós-graduação. O importante é deixar tudo às claras, pois, depois que dividimos a casa, é mais garantido pensar juntos sobre investimentos para a concretização dos projetos.
4. Conta bancária conjunta?
Apesar de planejar uma vida financeira em conjunto, ter conta bancária e planilha financeira individuais para preservar a independência é válido. Conta conjunta poderá ser interessante para objetivos em comum, seja uma viagem ou a aquisição de um apartamento mais amplo, por exemplo: essas conquistas poderão ser alcançadas mais rápida e facilmente se ambos guardarem juntos uma porcentagem de seu salário. O tema “finanças” tem que ser uma conversa leve entre o casal. É um passo importante para um relacionamento duradouro e maduro.

04 de Julho de 2016

Mais Notícias

Ver todas as notícias
Criação de Sites - Artweb